Idosos no Rio Grande do Sul

Idosos no Rio Grande do Sul

 Em 1991, a população com 60 anos ou mais de idade representava 8,92% [1]da população do estado do Rio Grande do Sul e,  em 2015,  15,64%. 

 A Tabela-1 mostra que a população estimada de idosos do Rio Grande do Sul, tanto em relação ao sexo feminino como masculino, é maior que a do Brasil.

  Tabela-1  População estimada de idosos, por gênero, em porcentagem no Brasil e no Rio Grande do Sul nos anos de 2015, 2020,2025 e 2030.

 

Ano

RIO GRANDE DO SUL

Brasil

Mulheres %

Homens %

Total

Mulheres %

Homens %

Total

2015

8,83

6,8

15,63

6,54

5,2

11,74

2020

10,44

6,12

16,56

7,69

6,12

13,81

2025

12,14

8,58

20,72

9,01

7,22

16,23

2030

13,56

10,72

24,28

10,31

8,31

18,62

Fonte: http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/. Dados trabalhados por MMV

 O crescimento da população de idosos no Brasil e no Rio Grande do Sul fica evidente ao longo dos anos, alcançando mais de 24% no Rio Grande do Sul e 19% no Brasil, em 2030.   O  Rio Grande do Sul  é superior ao Barsil em 5 pontos  percentuais. A população das mulheres idosas conforme os dados ainda será superior ao homem.

 Estudos mostram que das 20[2] cidades com maior concentração de idosos no país, 18 estão localizadas no Rio Grande do Sul sendo que a capital, Porto Alegre, concentra o maior número de idosos com 80 ou mais anos, entre as capitais.

 O município de Coqueiro Baixo, no Vale do Taquari, também no Rio Grande do Sul, lidera o ranking nacional de municípios com pessoas de 60 anos ou mais.  

A  previdência está deficitária  e a taxa de fecundidade está diminuindo.  O equilíbrio da previdência[3] decorre daqueles que trabalham e daqueles que se aposentam. Daqui a alguns anos não haverá trabalhador suficiente para bancar os custos necessários para as despesas previdenciárias.

 “Afonso Arinos lembrou que, em 2011, 7,1% da população brasileira tinha mais de 65 anos e o país gastava 11% do Produto Interno Bruto (PIB) com aposentadorias e pensões, enquanto nações com os mesmos resultados demográficos apresentavam gastos equivalentes a 4% do PIB.”[4]

HORA DE TOMAR DECISÕES AMARGAS 

[1]Os Idosos Do Rio Grande Do Sul: Estudo Multidimensional de suas Condições de Vida. http://www.ufrgs.br/3idade/pesquisas/Os_Idosos_do_RS_-_Relatorio_de_Pesquisa.pdf.; 2 População total do Estado do Rio Grande do Sul e população com mais de 60 anos, por região de pesquisa – 1991. Fonte: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Censo Demográfico 1991. 17/12/2015

[2] Censo 2010, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, produzido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

[3] A receita previdenciária tem como fonte direta impostos provenientes de trabalhadores e empregadores e das fontes indiretas que tem como origem a contribuição dos recursos orçamentários da União, Distrito Federal, Estados e Municípios.

 [4] http://www.ebc.com.br/noticias/economia/2015/08/despesas-previdenciarias-sao-desafio-para-ajuste-fiscal-afirma-secretario